BLOG LOCAL: ALAGOINHAS, BAHIA BRASIL.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Unidade de eco ou reverberação.

Pessoal estes projetos unidade de eco ou reverberação publicados nas revistas Saber Eletrônica 171, 172 ano 1987, baixe no blog do Picco em:https://blogdopicco.blogspot.com.br/2015/02/revista-saber-eletronica.html Em 172 é um circuito simples usando CI TDA 1022. E duplo CI TDA 1022 na revista 171, este componente é muito caro e difícil de encontrar, podemos adquirir em sites da china por US$ 10,80 com frete grátis. Usando um circuito com dois CI TDA 1022 entrada de áudio microfone, podemos ter eco e reverberação com uma excelente qualidade. Na década de 90 eu montei este mesmo circuito com um TDA 1022 e um pré compressor com CI LM 1458, liguei externamente na entrada de microfone PTT do meu cobra 148 GTL, a princípio o som ficou ruim com vários efeitos ao regular o P2 que é o clock que controla o circuito, e depois de ajustar P1, P2, P3 a modulação ficou com eco, e pouca distorção, porem não gostei, achei que o pré compressor LM 1458, estava atrapalhando a propagação do eco, e o circuito estava ligado erado, não obtive reverberação, modulei alguns instantes e ás reportagens era que estava bom, que minha voz estava boa, mas para mim, não estava, estava ruim ou pessima, resolvi desmanchar e parei com esta ideia de modular com eco no meu 148 GTL. Se bem que nunca gostei de eco nas modulações. Bem o circuito dispensa maiores comentários, basta ler toda matéria nas duas revistas, se vocês tiverem ou se comprar este CI e quiserem montar aconselho a colocar um soquete no CI, e vasculhar outros esquemas para adaptar e conseguir melhorar mais o circuito, Baseado em outros circuitos fiz algumas alterações nestes circuitos adaptando um pré com o LM 1458 ou 4558, com um operacional na entrada de áudio, o segundo na saída, como filtro buffer para realimentação do circuito, existem diversos esquemas de unidade de eco e reverberação na WEB. Hoje alguns CI que pode produzir eco ou reverberação com simples circuito a preço de banana. Exemplo do PT 2399. Na próxima publicação vamos ver alguns circuitos simples de eco e reverberação.
Esquema original unidade de eco publicado revista Saber Eletrônica 172.
Esquema original unidade de eco publicado revista Saber Eletrônica 171.
Esquema atualizado eco reverb TDA 1022 regulador Vcc transistor.
Esquema atualizado eco reverb TDA 1022 regulador 7809.
Esquema atualizado Echo reverb TDA 1022 x2 e regulador 7809.
Vocês se optar em montar qualquer um dos dois circuitos, saiba que com dois TDA 1022 é melhor, não quer dizer que com apenas um TDA 1022 não tenha eco ou reverberação, eu montei com um e não gostei, achei o circuito faltando algo mais o que eu esperava, e também nos ajustes dos trimpots. Voltando a dizer que este CI TDA 1022 é caro e difícil, existe outros que custa bem baratinho comprando importado da China.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

sábado, 9 de dezembro de 2017

Pré amplificador microfone compressor dinâmico.

Este pré amplificador e compressor para microfone foi publicado na revista CQ Elettronica 1976-07, por Flavio Muratori, baixe em:http://www.rsp-italy.it/Electronics/Magazines/Costruire%20Diverte/index.htm ou http://www.rspitaly.it/Electronics/Magazines/Costruire%20Diverte/_contents/CQ%20elettronica%201976_07.pdf esta revista alem deste tem alguns circuitos interessantes. Se você quer ter grande conteúdo em revistas, Handbooks, cursos de eletrônica, visite o blog do Picco: https://blogdopicco.blogspot.com.br/ 
Sobre o circuito: Temos um bom pré amplificador com compressor para microfone, com 2 JFet 2N 3819, e 3 transistores NPN de baixo ruído Q3, Q4, Q5, BC 109, Q1 amplifica o áudio do microfone eleva sua amplificação saindo (DRAIN) ajustado por P1, potenciômetro de 47k para Q2, o mesmo Q2 amplifica o áudio já controlado pelo circuito de compressor que entra em (GATE), o áudio sai por (SOURSE) que é amplificado por Q3, Q4, Q5, na saída (EMISSOR) Q5, tem dois ajustes um para o circuito de compressor P2, e outro volume saída de áudio P3. O circuito é simples porem fiz algumas modificações, schem. 02, 05 mais simples, retirando Q1, Q5, com microfone eletreto, que funcionara perfeitamente com mesmo nível de compressão do áudio, desenhei uma versão schem. 03 mais expansivo com microfone de eletreto, Q1 amplifica ainda mais o áudio, Q2 tem um 47k Mike Gain, controla a entrada de áudio no circuito. No schem. 04 colocamos o volume de entrada de áudio Mike Gain, na entrada do microfone de eletreto, circuito menos expansivo retirando Q1, ajustando a impedância de entrada do microfone, o microfone de eletreto já tem um Fet internamente, por isso ele amplifica mais e é expansivo, porem temos que alimentar sua entrada com uma pequena tensão que pode ser um resistor 10k ligado do +Vcc ao seu terminal + saída áudio, ou outra forma semelhante, temos que ter cuidados com circuitos pré amplificadores com a alimentação proveniente de fontes Vcc deve ter boa filtragem com capacitores eletrolíticos, use cado blindado isso evitará zumbidos ou roncos na modulação. Vejamos os esquemas origina e modificados.
Original circuito revista CQ Elettronica.
Original circuito pre´compressor atualizado.
 Componentes atualizados pré compressor simples para microfone dinâmico.
 Componentes atualizados, volume saída do pré para circuito amplificador e compressor.
Circuito pré compressor atualizado e simplificado microfone eletreto.
Circuito pré compressor simplificado e boa amplificação com microfone eletreto.
Vejam que um único circuito originalizou mais 4, porem temos que fazer testes para ver o nível de amplificação, expansão, compressão, e se quiser modificar simplificando ainda mais, os circuitos com microfone de eletreto façam teste com resistor de alimentação +Vcc você poderá colocar um trimpot de 10k e fazer teste ajustando a tensão melhor para a amplificação do eletreto. 
Espero que vocês gostem e montem, qualquer comentário será bem vindo.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Sirtel DM 311 microphones correção.

Esquema pré compressor e roger beep para microfone desenhado por Rick Jackson Euro Rádio Co, publicado na página da Cbtricks http://www.cbtricks.com/mic_manuals/sirtel/index.htm. Olhando rapidamente para o esquema (desenho) logo notamos que existe erros: Falta de referencia em alguns componentes e ligações erradas. O modelo DM 311 da Sirtel é semelhante aos demais circuitos de pré e compressor já publicado aqui no blog. O circuito dispensa maiores comentários, sem aprofundar no circuito, com 7 semicondutores transistores, 4 NPN, 3 PNP, 3 deles para amplificação áudio e 2 estabilização (compressor) áudio, 2 deles formam o oscilador roger beep com opção on off. O circuito é bem simples, alem do mais podemos questionar o tempo do beep: Ao soltar a chave (PTT) TX para RX como +Vcc e portadora de TX interno se manterá acionada para transmissão do beep, o capacitor eletrolítico de 33uf serve para alimentar por um tempo (temporariamente) o circuito beep, será que ao soltar a chave (PTT) TX para RX, o som beep será transmitido com longo tempo pretendido pelo capacitor. Na chave (ÁUDIO OUT), em TX1, será erro o número 1. A alimentação é 9V +VE. Tenho visto alguns erros de ligações em alguns esquemas e poderei citar alguns: Esquema Superstar 3900, no oscilador roger beep R182 esta erroneamente ligada de emissor a base de TR33, e C136, C138 estão ligado a base do mesmo, vejam: http://www.cbtricks.com/radios/crt/ss_3900/graphics/ss3900_ept360015c_mosfet.pdf. Novo esquema do cobra 148 gtl  módulo UHIC 007 VCO, onde C7 está ligado erroneamente de base para emissor TR2 http://www.cbtricks.com/radios/cobra/148gtl/graphics/cobra_148gtl_sch_redraw.pdf a correção está no blog em: http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2013/07/esquemas-uhic-007-ou-070-cobra-148-gtl.html. Nesta postagem da Sirtel BM 311, onde a tensão de +9Vcc que vem do resistor de 3k está ligada erroneamente a base do 2SA 984 colocando em curto emissor e base, o capacitor 33uf com positivo ligado no centro da chave TX, RX beep, e seu negativo está ligado erroneamente na saída de áudio do beep para negativo. Eu poderia baixar esquemas para corrigi-los, mas isso levaria muito tempo e paciência, simplesmente ao visualizar o circuito que me interessa tenho o compromisso em informar aos nossos amigos do blog sobre os erros encontrados, isso evita a vocês que estão fazendo montagens ou manutenção em determinado equipamento que se perca tempo até descobrirem, pois se não tiver atenção ou alguma experiência de circuitos, vai perder um bom tempo até descobrir os erros (gatos) em muitos esquemas. Fica então a sugestão para que a Cbtricks corrija estes pequenos erros nestes e outros esquemas. 
Fiz algumas pequenas alterações neste circuito em C1, de 1nF para 100pF. 1nF poderá em parte "aterrar" reduzir o áudio, em C2 para 10uF, em C3, C4 para 4n7 a 10nF, o melhor será para quem tem um modelo igual é corrigir olhando e revisando  os componentes, e para quem montar fazer testes nos componentes que alterei para melhor funcionamento do som e tempo do beep.
Abaixo esquema original vejam os erros de ligações.
Abaixo o mesmo esquema original já atualizado corrigido as ligações.
Abaixo nosso desenho já atualizado nas ligações.
Abaixo nosso esquema atualizado para mic. eletreto.
 
Abaixo esquema atualizado com roger beep modificado, P1 poderá ser 22k modificando o som beep.
Pessoal o interesse em publicar este esquema é mais uma forma de corrigir os erros. Ás atualizações feitas por mim não afirmo que o beep seja transmitido esperadamente como os originais dos transceptores, valerá vocês que montar fazer testes dos circuitos independentes. Por favor se alguém se interessar e montar o circuito mande por gentileza um comentário, ou mesmo o esquema modificado, isso nos ajudará a corrigir ou aperfeiçoar o circuito.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Pré compressor para microfone RTX, I5BVH Rino Berci.

Este circuito pré compressor para microfone, é uma modificação atualizada da publicação na revista italiana CQ elettronica Ottobre 1979. Autoria de I5BVH Rino Berci, vocês poderão baixar esta revista em: http://www.introni.it/pdf/CQ%20elettronica%201979_10.pdf Atualizado em seus componentes semicondutores e Jfet, acrescentei como nos circuitos do mês anterior, opção de microfone eletreto, ou dinâmico de 600 ohms, que se optar por microfone eletreto ás linhas pontilhadas deverão ser interligadas. Com a chave rotativa (CH1) de duas posições três secções, podemos desligar (OFF) o circuito quase que total, ficando (S1) na posição (ON) ou mesmo apenas ligado a alimentação 13,8 Vcc RTX CB, nesta configuração só o eletreto com volume de saída estará atuando, o LED vermelho (OFF) acenderá, todo circuito de pré e compressor estará desligado. Quando (CH1) estiver na posição (ON) e (S1) estiver (ON), ou em 13,8 Vcc RTX, o circuito pré e compressor estará funcionando, vejam que o circuito de controle de áudio é ajustado em P1 que pode ser um trimpot de 47k para ajustar a entrada áudio para o transistor BC 548, este amplifica separadamente o áudio e passa para o circuito retificador composto por dois diodos de silício 1N 4148 ou 1N 4448, retificam o áudio e entra no (GATE) segundo Jfet BF 245, este sai no seu (DRAIN) uma pequena tensão para o circuito pré entrada controlando a amplificação do Jfet através do (SOURSE), formando assim o controle estabilizado do áudio, chamado compressor. Vejam que do pré Jfet (DRAIN) temos P2 ajustando o nível de entrada para o segundo estágio de amplificador de áudio 2 x BC 549, este circuito já recebe o áudio controlado pelo circuito de controle (compressor). Saindo áudio através de um capacitor eletrolítico de 4,7uF 16V ou 4u7 16V, eu adicionei um potenciômetro de 47k para controlar o volume de saída para o RTX, servindo para os dois circuitos e microfones. Bem como podemos observar os circuitos transistorizados são praticamente semelhantes, a diferença é o número de semicondutores e sensibilidade, devemos ter cuidado pois alguns RTX não precisa ter pré sensível, e vocês verão que os controles de volume e Mike Gain vão ficar quase que fechados, isso quer dizer que o circuito do RTX já é pré amplificado, tendo muita amplificação para o microfone temos que reduzir e controlar pelos potenciômetros e trimpots. Em alguns componentes com (*) que poderão ou não serem alterados em testes para melhorar o funcionamento do circuito. 
Se vocês quiserem baixar e salvar mais revistas de eletrônica, visitem o blog do Picco: https://blogdopicco.blogspot.com.br/ lá tem bons livros, handbooks, cursos, revistas brasileiras e de vários países, vale a pena vasculhar. Para quem é PX ou gosta de Radioamadorismo tem o blog do Ademir: http://revistaradioamadorismo.blogspot.com.br/ lá vocês vão baixar revistas direcionada a comunicação da faixa cidadão (CB) e Radioamadorismo. Pessoal esses dois autores dos blogs que citei faz um grande trabalho na área de eletrônica e Radioamadorismo.
Esquema original publicado na revista.
Lista de componentes original publicada na revista.
Lay out PCI lado cobreado original publicado revista.
Lay out PCI lado componentes original publicado revista.
 
Abaixo esquema e componentes original publicado na revista.
 
Abaixo esquema atualizado, com opção microfone de eletreto on off.
Espero que gostem deste circuito, se bem que existem vários circuitos transistorizados de pré compressor de microfone semelhantes, escolha um e monte, faça o teste, fale de perto e longe do microfone e ajuste corretamente, vocês verão a diferença na sua modulação, principalmente em transmissão em SSB, vocês notarão que o S meter do seu rádio transceptor ficará sempre oscilando muito mais acima do meio quase no canto esquerdo, indicando total transmissão, mesmo que você fale baixinho no microfone sua voz será elevada ao mesmo nível se estivesse falando alto, ou seja o circuito regula automaticamente o áudio sem distorção.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

domingo, 29 de outubro de 2017

Pré amplificadores e compressores de microfone RTX.

Por favor leiam, para quem vai montar é importante. 
Depois de muitas publicações sobre RTX, RF, irei publicar a partir desta alguns esquemas na área de áudio simples pré de microfone com compressor, todos para serem adaptados ao seu transceptor comercial ou de fabricação caseira. Um circuito deste tipo em um transceptor SSB ou DSB faz com que a sua modulação mantenha-se sempre em um nível (volume), se você falar alto ou baixo ao microfone o mesmo nível (volume) permanece na saída do circuito, se o circuito funcionar corretamente seu transceptor SSB ou DSB poderá lhe proporcionar maior potencia RF ao falar baixinho ao microfone, e até poderá aumentar sua potencia média de RF, sua voz ficara melhor de ser ouvida, sua inteligibilidade de transmissão mesmo em AM e SSB aumentará consideravelmente em relação ao seu microfone original. Vocês poderão adaptar o mesmo PTT do seu transceptor, ou se quiser colocar um microfone de eletreto, porem em todos os circuitos o microfone de eletreto fica muito mais expansivo e tonalidade aguda, o microfone dinâmico tem uma tonalidade um pouco grave e fica pouco expansivo com uma ótima modulação.
O esquema 1 é o mesmo circuito já publicado aqui no blog:http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2012/08/pre-e-compressor-microfone-px-low-bat.html e no blog:http://esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.br/2016/01/compressor-e-pre-de-audio-10mw-py-px.html  publicado com nome de “Compressor de áudio Linear de 10mW”, na revista E-P Março e Abril 1973, trata-se de um simples pré amplificador de microfone com compressor que tem a finalidade de cortar os picos de áudio devido ao circuito Q3 conduzindo em picos de áudio rebaixando a tensão no coletor de Q1, entre 4,7 Vcc e 2,5 Vcc, o circuito é muito simples e dispensa maiores comentários. Eu atualizei esta versão colocando dois LEDs bicolor, chave rotativa com 3 sessões e duas posições, que poderá ser substituída, alimentação por fonte de 13,8 Vcc, ou bateria de 9 Vcc, o circuito mesmo em modo off em CH1C, ligado a fonte de 13,8 Vcc, ou ON S1, com microfone eletreto, teremos só a amplificação do próprio eletreto com o mesmo volume P1 na saída, sendo uma opção a mais em reduzir a expansão, lembre-se que o microfone de eletreto precisa de uma pequena tensão, se usar o microfone de eletreto ligue ás linhas pontilhadas e componentes, se não usar o eletreto não ponha os componentes e a chave poderá ser de duas sessões, ou se preferir poderá usar a mesma chave com três sessões e não usar S1, CH1C fica em ON OFF alimentação Vcc. Se usar só microfone dinâmico de 600 Ohms, melhor usar do próprio transceptor, não use cápsulas FTE de telefone, a impedância delas são baixa por volta de 150 Ohms a 300 Ohms, não vão dar boa qualidade em sua voz, faça o teste, chame um colega para ele ouvir, abra o PTT e fale segurando a cápsula original, diga que vai trocar de PTT, e solde a cápsula de telefone, chame e pergunte qual é melhor, ele vai dizer que é o PTT primeiro sem dúvida, não diga a ele o que está fazendo, só diga que está trocando de microfone ou PTT, refaça novamente o teste com outros colegas e tire ás suas duvidas, Ele vai dizer logo que o primeiro é melhor, o original, se você tentar ouvir sua própria modulação não conseguirá identificar a qualidade, Já o microfone de eletreto tem uma excelente qualidade, porem é mais expansivo e mais agudo, sua impedância é muito menor que os dinâmicos.
Neste esquema 2 temos o mesmo circuito pré de microfone 10mW 1, fiz uma adaptação na entrada de áudio entre os resistores de 10k, este circuito é empregado em alguns transceptores PX (CB), a finalidade é fazer com picos de áudio elevados Q3 sature e conduzindo para negativo a entrada de áudio, como se fosse um controlador automático de ganho de microfone.
O circuito 3 são idênticos aos demais acima, e semelha-se ao original só que em ao invés do coletor de Q3 esta ligado no coletor de Q1, conduzindo forçando a tensão de coletor Q1 baixar (cair) controlando a amplificação de Q1, neste circuito em picos de áudio Q3 satura conduzindo para negativo a base de Q1, controlando assim a tensão na base de Q1 a amplificação cai, o resistor de 3k3 ligado de emissor de Q3 para base de Q1 poderá ser alterado até obter um controle de entrada de áudio que seja sempre mesmo nível (volume).
O circuito 4 é adaptado do Saturn, vejam que é um circuito semelhante ao circuito 3, porem temos um resistor de +Vcc de 560k a 1M ligada a outra de 1M ligado a base de Q1, neste circuito Q3 satura em picos de áudio e conduz a negativo forçando a tensão da base de Q1 baixar assim Q1 amplifica menos os sinais de áudio de entrada, controlando a saída. 
O circuito 5 é idêntico ao circuito 2, adaptei um JFET BF 245 ou MPF 102 entre outros, os JFET tem menos ruído, entrada com alta impedância e são melhores para amplificação de podemos sinais, alterar os resistores de 22k na entrada (G) para valores menores para microfones de 600 Ohms, e maiores valores para microfone de eletreto, podem fazer testes para combinar os resistores 22k entrada de microfone e TP1 regulando para melhor expansão e distorção em picos de áudio.
O circuito 6 é o mesmo pré e compressor de 10 mW, adaptei um simples circuito de tonalidade.
O circuito 7 idêntico ao circuito 2 com controle de ganho na entrada de áudio, e recebeu o mesmo circuito de tonalidade.
O circuito 8 semelhante ao 7, porem coloquei um LDR que recebe a luz do LED alto brilho incolor, o circuito é o mesmo, em picos de áudio o transistor Q3 satura conduzindo a negativo seu coletor, assim o anodo do LED que está ligado ao + Vcc 9V, precisa só da passagem do – Vcc em seu catodo para conduzir e brilhar (acender), essa passagem é feita pela condução do transistor Q3,  o resistor R1 ligado em seu coletor pode variar entre 680R a 1k8, depende do LED, observem ás medidas do sensor que esta no final desta publicação, mas vocês poderão criar um melhor e pequeno, contudo o LDR e LED fiquem um de frente ao outro e totalmente no escuro. 
Circuito 1 abaixo com CI TL 084, MC 1458, sensível amplificador de microfone em seus 4 circuitos operacionais, adaptei entre o pino 2 entrada de áudio e pino 1 saída do primeiro amplificador operacional o mesmo circuito já citado, encontrado em transceptores PX (CB), controlando a entrada de áudio, observem que entre os pinos 2 e 1 temos um resistor de 470k e um capacitor de 100 pF, o resistor é para limitar o ganho de amplificação, poderá ser entre 180k a 1M, o capacitor de 100pF pode ser entre 47pF e 150pF, e para modificar a tonalidade do áudio, isso também nos outros circuitos semelhantes, o montador deve observar ao falar próximo ao microfone se o circuito controlador com 2N 3904 BC 548 está atuando controlando o nível de saída sempre o mesmo, caso o montador queira poderá fazer teste, desligar o resistor 1k do pino 1, e ligue no pino 8, temos no esquema abaixo um exemplo acrescentando um trimpot de 47k dosando a saída do pino 8 para o circuito, observe o nível de áudio na saída.
Esquema exemplo da modificação do controlador de ganho na saída do terceiro amplificador operacional, observem que só temos este circuito controlador ou compressor no terceiro amplificador.
Circuito 3 um pré expansor e compressor de autoria do PY2OHH http://py2ohh.w2c.com.br/trx/compressor/compressor.htm o circuito original foi aprovado pelo Miguel, fiz algumas adaptações porem mantive os pinos circuito originais, na entrada de microfone o mesmo circuito controlador 2N 3904, BC 548, em testes vocês podem trocar o resistor de 1k do pino 8 e substituir por um trimpot de 22k a 47k, para melhor controle de entrada de áudio, se o circuito controlador não estiver atuando perfeitamente não monte, deixe só com o circuito compressor ligado entre o terceiro e quarto amplificador operacional, pois o compressor também é um controlador de picos de áudio e mantém sempre o áudio em um nível.
Circuito 4. Semelhante ao circuito 3 do PY2 OHH Miguel, encontrado com titulo: “Speech processor module” Processador de voz ERC, encontrado na página Cbtricks. http://www.cbtricks.com/mic_manuals/erc/erc_speech_processor.pdf. Modifiquei do original e Fiz a mesma adaptação com o circuito controlador na entrada de áudio, em testes vocês poderão substituir resistor 1k pino 1 por trimpot de 22k a 47k para o circuito controlador. 
Circuito 5. Outra modificação para se obter melhor controle de entrada de áudio, o Trimpot poderá ser experimentado nas saídas pino 1 TP1, ou pino 7 TP2, tem que ser ligado só um trimpot, onde ficar melhor o controle de entrada de áudio.
Circuito 6. É uma adaptação com JFet BF 245, para microfone dinâmico 600 Ohms, o primeiro amplificador operacional do esquema Galaxy, do SS3900 etc, baseado esquema original compressor “Flatline” de John Hollis, http://www.hollis.co.uk/john/flatline.jpg maiores detalhes em: http://stompville.co.uk/?p=50 este circuito usa apenas um estagio amplificador operacional IC1A do CI TL072, amplificando o áudio do microfone que pode ser opcional, o outro estagio IC1B amplifica mais o sinal e tensão, saindo pino 7 alimentando uma extremidade ponte de diodos de onda completa, na outra extremidade recebe o sinal tensão de saída pino 1 através de um resistor 330R, essa ponte de diodos de germânio 1N 34, retifica e filtra com o capacitor de 100 uF, os picos de áudio retificado e filtrado conduz o LED de alto brilho incolor, o controle é feito através da resistência do LDR, o primeiro operacional elevando sinal tensão saída a ponte de diodos, que já recebe também o sinal tensão do segundo operacional  conduzindo o LED a acender e assim caindo a resistência do LDR, controlando o nível de saída de áudio. O LDR componente pouco usado, é um resistor variável sensível a luz, e de alto valor 2M aproximadamente, quanto mais intensa a luz sobre ele menor resistência terá o LDR, podemos perfeitamente combinar ele como um resistor potenciômetro de ajuste automático, por isso R3 de 270k poderá ser alterada para melhor controle no áudio. O projeto original de John Hillis foi projetado para instrumentos musicais, para voz teremos que alterar o circuito, por isso nesta versão que desenhei os resistores R3, R5, R6, R7, poderão sofrer alterações para que a amplificação e controle de áudio seja perfeito para nossos projetos RTX.
Circuito 7. Baseado no Flatline compressor original, mantive o esquema original porem acrescentei um JFet BF 245 para que um microfone de 600 Ohms dinâmico fique expansivo e amplificado, os microfones de eletreto não precisa pois já são amplificados, se bem que o TL 072 tem JFet internamente, poderemos modificar o esquema original para melhor qualidade de áudio e controle de microfone nos nossos projetos de RF. 
Esquema sensor para nossos projetos compressor e controle automático de ganho.
Pessoal nos esquemas com LDR e LED como sensor de luz. Como confeccionar: Se pega um canudinho de refrigerante grosso entre 7mm circunferência, o que seja possível entrar o LDR de um lado e o LED do outro, corte um pedaço 12mm ou 15mm, encoste um ao outro, os terminais deve sair pela circunferência do canudo, passe cola quente (silicone) nas partes dos terminais (saída) para fixar os dois no pedaço de canudo, agora para ficar totalmente escuro (preto) cubra o canudinho com fita isolante preta, faça com que o LDR e LED fiquem totalmente no escuro até na parte dos terminais, enquanto ao LED eu acho melhor o  de alto brilho incolor ou mesmo branco, este sensor é uma parte muito importante para o bom controle de áudio do circuito, depois de pronto o sensor, teste colocando os dois terminais do LDR no multímetro coloque na escala alta X10k teste analógico, e 20M teste digital, como se fosse medir um resistor de 2M, agora injete uma pequena tensão no LED, e veja no multímetro se a resistência do LDR  diminui, se diminuiu baixe a escala do multímetro, para você acompanhar até onde vai a resistência do LDR com plena luz do LED, se você quiser poderá variar a tensão no LED, simulando como se estivesse no circuito, o LED apagando (escuro) e acendendo (claro) gradativamente (aos poucos), com isso a resistência do LDR tende a fazer o mesmo efeito inverso, aumentando resistência quando o LED apagado (escuro), e diminuindo resistência quando o LED totalmente aceso (claro), dessa maneira é possível saber qual o resistor colocar em paralelo com o LDR nos circuitos, aproveitando melhor a amplificação e controle de entrada do áudio.
Eu espero que gostem e façam comentários sobre o assunto, e quem montar mande-nos comentários.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

VXO modificado transverter 40 metros.

Pessoal o Marcio tem um site direcionado a montagens e modificações em transverter e transceptores, muito boa iniciativa mais adeptos a nosso hobby. Parabéns Marcio Medeiros vejam: http://marciodsmedeiros.wixsite.com/medeirospu1msm/gerais
Esta página foi atualizada 27-11-2017.

Uma modificação no oscilador VXO que o amigo Marcio S. Medeiros montou no seu transverter Zamin 40 metros, para abranger mais frequências sem mexer no seu transceptor, assim com o transceptor original tem mais condições de cobrir a faixa dos 40 metros acima e abaixo tranquilamente, e com o transceptor (chucrutado) esticado os canais melhor ainda. Os cristais podem ser em frequências próximas ás colocada pelo Marcio, caso vocês não tenha como adquirir os dois cristais abaixo citados. 
Esquema modificação VXO enviado pelo amigo Marcio.
Tabela feita por Marcio conversão frequências adicionais.
Abaixo foto de como ficou seu transverter com ás duas chaves, que selecionam os cristais adicionados.
Muito bem Marcio Medeiros, muito boa sua ideia, está ai publicada na integra para que todos vejam que podemos modificar o que já está pronto, ou desenhado em esquemas. Façam como o Marcio, crie, invente, tente, não desista, todos somos inteligentes, basta colocar a mente em atividade e focar ás suas ideias. Mandem suas ideias também por e-mail que eu a publicarei para que todos vejam, por mais simples que você ache que fez, mas isso vai fazer outros colegas serem incentivados. 
Muito obrigado Marcio S. Medeiros, meus sinceros agradecimentos em contribuir para o blog.
Waldir Cardoso.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Novos blogs.

Pessoal todos os meses publicarei esta divulgação:
Sendo eu amante da eletrônica, tenho o prazer em procurar ajudar aos iniciantes e montadores de projetos eletrônicos, gosto e desde criança sou apaixonado por RF "transceptores" por este motivo tendo hoje a facilidade da internet "WEB" para levar um pouco do que aprendi e ainda estou aprendendo pois nunca sabemos demais, e cada dia procuro aprender uma nova descoberta. Pois é tendo este meio de comunicação eu criei o primeiro blog: Projetos e transceptores, em Maio de 2012, com a finalidade de mostrar, incentivar, e divulgar meus esquemas e projetos simples, depois tomei outra direção em desenhar diversos projetos e esquemas postado aqui na WEB ou em antigas revistas, sempre procurando modificar ou diferenciar os esquemas para incentivo aos iniciantes e montadores, hoje o blog: Projetos e transceptores. Tem pouco mais de 5 anos, com 44 seguidores, e tem mais de 295.000 acessos.
Em abril 2015, criei um novo blog:esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.brEsquemas projetos eletrônicos. Este com a finalidade de divulgar os esquemas e xerox que possuo, ou revistas encontradas na WEB sempre na área de eletrônica de um jeito diversos, para mostrar abordar ou comentar algum assunto do esquema publicado para incentivar e ajudar os iniciantes.
Este mês Agosto de 2017, criei mais um blog:http://sucataseletronicasdoacoes.blogspot.com.br/ Sucatas eletrônicas doações. Criado com a finalidade de aproveitar o que é descartado por cidadãos, empresas, oficinas, prefeituras, etc. como "Lixo eletrônico", eu como bom garimpeiro quero divulgar o  que em quase todas postagens comento aqui no blog sobre componentes aproveitados de sucatas, todos os montadores já fez ou vai fazer uma montagem com algum componente de uma boa sucata, isso é inevitável, eu já faço isso desde criança quando comecei na eletrônica pois não tinha dinheiro para comprar os componentes, eu aprendi a selecionar, limpar, testar, manusear, lubrificar, e guardar "armazenar" bons componentes que servirão para minha próxima montagem eletrônica sem gastar muito dinheiro, e sem ter que ficar procurando por componente de loja em loja e não achar "mosca branca", já divulguei aqui no blog alguns transceptores em AM montado por mim com 98% de componentes e caixa de sucatas, tenho o maior orgulho. A criação deste novo blog também  é para agradecer aos meu amigos, colaboradores, que me ajudaram e ajudam doando todo tipo de sucatas eletrônicas. Muito obrigado aos seguidores e a todos que acessam os blogs, e você que gosta de eletrônica e faz montagens click nos links acima para ver mais sobre esse mundo fantástico que é o futuro do mundo. Obrigado.
Waldir Cardoso.

sábado, 30 de setembro de 2017

Transverter Star Flare 27Mhz (CB) 7Mhz modificações.

Por favor leiam toda matéria e importante.
Transverter 27Mhz (CB) 7Mhz. Pessoal este esquema notem que é uma modificação do esquema anterior publicado aqui para 14 Mhz.http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2017/08/transverter-star-flare-14mhz-144mhz-cq.html Sobre o projeto. Ao ligar o transverter em 13,8Vcc e S1, RL1 fecha seu contato RL1A desligando a antena de 27 Mhz, e ligando o transceptor PX (CB) para o circuito atenuador de carga de 50 Ohms, 4 x 220 R 3W, e 4 x 1N 4007, em TX os diodos comutam para negativo e alimenta o circuito de comutação Vcc de TX eletrônico TIP 32, e ao mesmo tempo bloqueando a tenção Vcc RX através do LED base BD 140 vindo diodo 1N 4001 ligado do coletor TIP 32 Vcc TX. Na entrada de ant. o sinal de 7 Mhz filtrado por LPF e sai do capacitor de 120 pF ou outro valor indo a entrada de outro filtro BPF baseado do Ararinha, ligado a “G2” BF 981 MOSFET podemos confeccionar L1, L2, primário 15 T espiras, secundário 4 T espiras fio 36 AWG em fôrmas de bobinas TOKO 10mm, encontradas em TVs antigas, rádios FM etc. o sinal banda passante estreito poderá ser alargado um pouco trocando o capacitor de 5,6pF por um de 10pF, o sinal filtrado de 7 Mhz entra em “G2” BF 981 que amplifica o sinal suavemente e muito bem, sintonizado novamente em L3 com 5 T derivação + 10 T espiras 36 AWG 10mm TOKO, passando a Trimmer TC1 de 60 pF  que poderá ser adicionado ou não no circuito, L4  também idêntica a L3 é sintonizada ligado em “G2” do BF 981 MOSFET Mixer. Os dois sinais proveniente do amplificador antena BF 981, e o oscilador local VXO controlado a cristal de 10 Mhz dobrando o sinal a 20Mhz em L7 com 7 T espiras 36 AWG 10mm TOKO, do já conhecido CT840, entram nas portas do Mixer MOSFET BF 981 “G1”, “G2”, os sinais misturados resultam na sua diferença é sintonizado em L5, L6, 2 T derivação + 5 T espiras 36 AWG 10mm TOKO, que ressona na freqüência de 27 Mhz FI, saindo por um filtro capacitivo e os diodos 2 x 1N 4007 mais uma proteção para RF TX não danificar “D” do MOSFET, o sinal passa pelos resistores 4 x 220R que tem uma resistência de 55 Ohms atenuador de carga, os 2 x 1N4007 que não estão conduzindo e vai a RL1A em ON entrada do RTX PX (CB). Em TX, pressionando PTT do transceptor PX (CB) o sinal de 27 Mhz entra no atenuador de carga junto com 4 x 1N 4007 conduzindo para negativo os 4 x 220R, a RF vai a 270R um capacitor de 6p8 ligado ao circuito de comutação eletrônica +Vcc TIP 32 TX para alimentação do circuito misturador, pré RF e pré driver, o sinal RF 27 Mhz do atenuador passa por este resistor de 270R 1W segue para um TRIMPOT de 1k este para regular a entrada de RF no modo SSB e AM, passando ao capacitor de 22*pF ou entre 10 pF a 22 pF, os dois diodos fazem proteção da porta “G2” MOSFET, Mixer TX misturando os sinais proveniente do oscilador local VXO 20 Mhz entrando em “G1”, e 27 Mhz entrando em “G2”, saindo o sinal diferença no “D” que sintonizado por L8 com 21 T espiras 36 AWG TOKO 10mm, ressonando em 7 Mhz, passando ao filtro BPF L9, L10, L11, idênticas (iguais) L1,L2, saindo sinal puro limpo em 7 Mhz, entra nos estágios de pré RF com 2N 3904, 2N 2222 ou 2N 2369, 2N2219, este com TRIMPOT TP1 470R poderá ser colocado no painel frontal regulando a pequena potencia mW RF que sai em L11 sintonizada ressonando em 7 Mhz, logo depois o circuito pré driver banda larga T1 que pode ser bifilar 5 T espiras 23 AWG ou fio flexível em toróides de reatores lâmpadas econômicas, ou podemos fazer com primário 12 T espiras fio 30 AWG, e secundário 3 T espiras fio flexível fino, mesmo toróides de lâmpadas econômicas, os transistores podem ser, BD 135-16, 137-16, 139-16, 2SC 2025, 2SC 2314, 2N 3866, amplificando o sinal para o circuito banda larga driver T2 confeccionado com 3+3 núcleos toroidais idêntico de T1 confeccionado tipo binóculo, ou ferrita de entrada antena de TV binocular, primário 4 T espiras fio flexível, secundário 1 T espira, derivação mais 1 T espira mesmo fio os transistores poderá ser, BD 329-16, 2SC 3420, 2SC 1173, 2SC 2026, 2SC 2075, ou Mosfet IRF 530N saindo T2 temos PA Push Pull Mosfets IRF 530, IRF 610, IRF 630, IRF840 saída RF potencia, T3 confeccionamos com os mesmos núcleos toroidais de T1 empilhados 6+6 tipo binóculo, com primário 1+1 T espiras, secundário 2 T espiras fio 20 AWG. Em T2 e T3 cole os núcleos meio do binoculo com cola quente silicone. Saindo sinal ao filtro LPF de 3 elementos, este filtro simples não é o ideal, mas já nos estágios misturador filtro BPF e pré RF sintonizados eliminando boa parte dos harmônicos e espúrios, o sinal passando pelo LPF faz a comutação dos 2 x 1N 4148 ou 1N 4004 ligando o capacitor de 120 pF a negativo, junto com o 330 pF formando uma capacitância em torno de 470 pF, poderemos ter uma potencia de RF entre 20 a 30W com tensão de 13,8Vcc, poderemos ter maior potencia de RF se aplicarmos só em “D” Mosfets PA uma tensão superior a 13,8Vcc, entre 16Vcc a 24Vcc, Ex: Se alimentarmos o PA com tensão 12Vcc e temos uma potencia de 15W RF, se aplicarmos 24Vcc teremos 30W RF, simples calculo, isso na teoria 15W : 12V= 1,25W, então temos 1,25W RF para cada Vcc, então em 13,8Vcc teremos 17,25W RF, na pratica talvez não consigamos atingir o dobro da potencia em 24Vcc, isso por que existe alguns fatores que podem influenciar em tensão e potencia elevada, impedância saída Mosfet, capacitores LPF, super aquecimento PA Mosfets, aproximação dos indutores LPF, entre outros. Precisamos de um robusto (parrudo) dissipador e cooler (ventoinha). Os capacitores do filtro LPF final PA tem que ser entre 1kV a 2kV, até 30W RF arriscamos a colocar os capacitores de cerâmicas N750, NP0, ou azuis ou amarelos usados em Vca entrada tensão TV ou fontes chaveadas PC, ajustando o filtro LPF e SWR baixa antena, poderemos ter uma potencia de RF satisfatória em 24 Vcc nos nossos RTX. Os XRF na linha de +Vcc pode ser 6 T espiras fio 20 a 24 AWG em toroides lâmpada econômica compacta. Vejam abaixo vários esquemas modificados.
Abaixo esquema 01 externo, com aproximadamente 25W RF.
Abaixo temos uma RF de aproximadamente 60W com IRFP 250, tensão de 13,8Vcc, S1 deve ser 10 Amperes, ou adaptar um relé.
Abaixo um TX mais simples e outros Mosfets podem ser experimentados.
Abaixo com tensão de 24 volts PA e Driver, podemos ter os 50W RF, com 13,8 volts temos entre 26W RF, RL2 faz a comutação de 24 e 13,8 volts. você poderá aplicar 13,8 volts e ter o transverter normal, ou aplicar ás duas tensões e ter uma potencia elevada de RF, não esqueça de colocar um bom e parrudo dissipador, um ou dois cooler (ventoinha) fonte de PC 12 volts é bem vindo neste projeto.
Versão interno com chave no fundo do Cobra 148 GTL, podemos ter 30W RF. ATENÇÃO: Blinde toda PCI, fixe o dissipador do Driver e PA na carcaça do rádio.
Versão com relé e uma simples chave on off, mais econômico com Driver IRF 530, outros Mosfets podem ser experimentados.
Abaixo os procedimentos de ligações do transverter interno no cobra 148GTL, também tem a proteção do TR 36 evitando sua queima quando C152 entra em curto foi publicado em http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2013/07/protecao-do-tr36-2sc-1969.html
Desenhei alguns filtros de 7, 5, e 3 elementos, todos poderão ser adicionado em nossos projetos de TRX e Transverter.
Quero escrever sobre a importância de ser Radioamador, só lembramos deles quando acontece catástrofes desastres naturais, ou coisas semelhantes quando a população fica sem comunicação, são lembrados e tem destaques nos telejornais, ou alguma reportagem com caminhoneiros PX, mas muita gente parte da população geração nova dos Smartfones, Tablets, Notebooks, não conhece o que é realmente ser um Radioamador ou mesmo PX faixa do cidadão (CB). O radioamadorismo está ligado a eletrônica, geralmente quem se revela com maior paixão a este hobby são os que já tem tendencia em montar (fazer) em casa equipamentos para ouvir ou transmitir a sua voz, hoje com a WEB temos milhares de esquemas revistas (vídeos) de diversos projetos nesta área. Escolha qual quer montar comece com um simples e vá adquirindo experiência na área de transceptores. Temos o blog do amigo Ademir Freitas Machado http://revistaradioamadorismo.blogspot.com.br/ vocês vão baixar boas revistas e muito mais sobre radioamadorismo, também o blog do amigo Picco conhecido no mundo https://blogdopicco.blogspot.com.br/ onde vocês vão baixar milhares de revistas e handbooks mundiais de eletrônica com muitos esquemas. Pessoal não deixe ser enganado, existe pessoas de má índole baixando ás revistas do blog do Picco e vendendo no mercado livre, o Picco sempre está sofrendo este tipo de fraude, parece que os anúncios foram retirados, vamos denunciar ao mercado livre sempre que acontecer isso, não comprem DVDs ou por e-mail revistas sem saber a procedência, o blog do Picco tem de graça para que todos possam baixar e guardar para uso próprio, tem também um site americano vendendo esquemas mundiais, o cara ainda diz que tem ás copias originais em PDF, eu sou uma vítima, o preço varia de esquema para esquema. Como pode o cara achar que ainda tem gente que vai comprar algum esquema na página dele.
Pessoal façam comentários, criticas, sugestão, elogios, quem montar este transverter favor mandar algum comentário isso dará incentivo a outros colegas a montar e fazer modificações que serão bem vinda e será publicada. Muito obrigado. Boa sorte.
Waldir Cardoso.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Simples dicas montagem transverter (conversor) RF.

Dicas e Informações aos iniciantes que querem montar transverter interno (dentro) no 148 GTL ou externo (fora) com gabinete (caixa). Externo: O transverter vai transmitir o que o seu transceptor é, a tonalidade de áudio, grave ou agudo que o seu transceptor tem, se ele se desloca (vareia) de frequência tudo vai ser convertido ao transverter. Por isso que para mim com experiência própria para adaptar transverter externo ou interno o melhor rádio é o Cobra 148 GTL, mas isso não quer dizer que os outros rádios não possa ser adaptado um transverter externo ou interno, pode sim, talvez tenha que fazer alguns ajuste na entrada de RF do transverter, pois alguns rádios tem uma potencia RF superior a 12W em SSB, o atenuador de carga do transverter não está fazendo seu papel deixando passar muita RF para o circuito misturador e podendo haver problemas na modulação por excesso de RF, por isso em alguns casos se baixar o volume do mike (microfone) em SSB, a potencia RF tem a cair, melhorando transmissão e modulação na saída do transverter, não aconselho a mexer no transceptor PX (CB), aconselho a fazer melhorias no transverter no atenuador de carga, reduzir a entrada RF para o circuito Mixer (misturador) entrada. Faça ligações curtas, use sempre cabo coaxial em ligações de RF, use cabo blindado em ligações de áudio, prefira fios flexíveis, na entrada de Vcc coloque fio de grosso calibre, 2,5mm ou superior dependendo do consumo da potencia RF, use sempre braçadeiras de nylon (enforca gato) para fixar e arrumar a fiação, use sempre fusível adequado ao consumo, prefira sempre caixa ou gabinete metálico pequeno, bom colocar blindagem no circuito oscilador VFOcoloque bons dissipadores nos transistores Driver, Mosfets PA, sempre use um ou dois cooler (ventoinha), isso vai fazer seu transverter render mais e trabalhar temperatura normal, a fonte de alimentação de 13,8 Vcc tem que ser estabilizada e bem filtrada com amperagem superior ao consumo dos equipamentos. Interno: No Cobra 148 GTL, melhor retirar o sinal de 27 Mhz através de um capacitor cerâmico NP0 (0) entre 10pF a 68pF solde na trilha da base (B) TR38 Driver, onde o sinal limpo já é amplificado por TR39, poderíamos retirar da base de TR39, mas em testes o sinal ficou melhor em TR38, o valor do capacitor influencia no circuito Driver e na saída final RF 27 MHz do transceptor, por isso faça testes de potencia RF adicionando e retirando o capacitor, escolha o melhor valor para que o sinal de 27 Mhz passe pelo capacitor sem interferir tanto no circuito Driver. Dependendo da potencia use um relé 10 amperes ou mais para +Vcc, e retire a alimentação direto do conector fixo J 403 para seus contatos, se quiser usar relé dois contatos, a bobina do relé ligue na chave on off S 402 saída que vai ao pino 2 IC4 MB 3756, assim não corremos o risco de L401, L402 fique sobrecarregada e não suporte a corrente de consumo do rádio e transverter, no final da montagem dependendo da potencia RF 80W a 100W devemos substituir o (rabicho) fio de ligação Vcc original do transceptor com fusível, troque o fusível por outro de maior amperagem, troque o fio de ligação Vcc (rabicho) por fio de boa qualidade flexível 2,5mm ou 4mm, vermelho e preto mais curto o necessário, faça a adaptação dos portas fusíveis, se preferir colocar fusível no fio preto negativo. Mas antes de fazer essas modificações no fio de ligação (rabicho), observe se o transverter está funcionando corretamente, se tiver, ao modular por 2 ou 5 minutos, observe se o (rabicho) está aquecendo, caso esteja proceda a substituição. Fixe bem com parafusos a placa, os dissipadores encoste e parafuse na carcaça do rádio servindo como dissipador, mas requer adaptar um bom dissipador no fundo do rádio e dependendo da potencia RF um ou dois cooler (ventoinha). Proceda como já escrito sobre ás ligações e fixação dos fios, faça testes para melhorias em ligações de indutores bobinas LC, elas tem que regular com núcleo abaixo do meio uma ou duas voltas, coloque capacitores entre 10 nF (103) a 100nF (104) de positivo para negativo de desacoplamento na entrada +Vcc dos indutores bobinas o mais próximo a elas, façam testes em substituição dos transistores para melhorias de recepção e transmissão, ao confeccionar indutores bifilar ou trifilar, observe bem o início e fim dos fios, um pontinho preto indica inicio ou fim, se ligar errado a recepção fica ruim ou fraca, em TX RF fica pouca fraca, indutores (bobinas) ajustáveis melhor usar fôrmas TOKO 10mm blindada, faça os enrolamentos espiras (voltas) sempre mesmo sentido. Nos circuitos de transmissão Driver e PA podemos usar os Mosfets, muito melhor mais barato e mais fáceis de achar que os transistores bipolares muitos são falsificados. Os circuitos push pull são melhores para elevar a potencia em RF final. Acrescente nas linhas de +Vcc de TX e RX diodo led vermelho e verde se preferir coloque um led vermelho na saída de RF ANT, esquema CT 840. Em circuitos onde precisamos de estabilidade como: Osciladores RF, VFO, VXO, VCO, PLL, colocamos diodo zener regulador (estabilizador) tensão Vcc ou CIs reguladores da linha 78XX regula (estabiliza) tensão positivo +Vcc, 79XX regula (estabiliza) tensão negativo _Vcc, os CIs reguladores são mais eficientes, sempre coloque (solde) capacitores de cerâmica de 100nF (104) em cima ou mais próximos dos seus terminais de entrada e saída para negativo ou positivo, os eletrolíticos pode fazer parte junto com os cerâmicos. Os indutores XRF ou choque de RF, podemos confeccionar enrolando várias espiras (voltas) de um determinado fio e resistor de alto valor 470k e Watt, ou enrolar algumas espiras (voltas) de um determinado fio em um núcleo toroidal encontrado em reator eletrônico lâmpada (econômica) compacta fluorescente ou ferrita externo circular da bobina TOKO 10mm, ou retirados de TVs ou sucatas, podemos comprar pronto pelo valor de indutância em microHenry  (uH), ou milliHenry (mH), quando escrevo determinado fio é o calibre (bitola) do fio, é porque depende onde vai ser usado o XRF, se colocado na linha de +Vcc de um circuito simples com consumo pequeno, como pré RF TX, oscilador, pré antena, pré amplificador microfone, podemos colocar fio fino, de 29 a 40 AWG, em circuitos médio consumo como pré Driver, Driver, podemos colocar fio 28 a 25 AWG, em circuitos de alto consumo como: Entrada geral de tensão do transceptor, tenção do PA colocamos fio mais grosso de 24 a 20 AWG, consumo é o quanto vai circular corrente em determinado circuito. Pessoal aqui no blog existe centenas de esquemas de transverter para algumas frequências, caso você queira mudar um projeto para operar em outra freqüência, basta modificar os circuitos sintonizados LC, indutores (bobinas) e capacitores, cristal, e em frequências elevada os transistores. Não esqueça de blindar a PCI principalmente se ela for ficar sobre (cima) ás bobinas (indutores) L45, L46, L47, L48. Eu prefiro transverter interno, é muito melhor, seu rádio fica original, só uma unica chave na parte de traz, o Driver e PA ficam inoperante sem tensão, alem de tudo você tem um rádio com 3 bandas, 40, 11, 10 metros, se chucrutado ( modificado). Nas minhas postagens sobre transverter aqui no blog, sempre desenho versões interno (dentro) Cobra 148 GTL e suas respectivas ligações com relé duplo dois contatos e simples mini chave, ou só mini chave on off duplo contato (6 pinos) no fundo rádio. Eu prefiro só a mini chave dupla, ocupa menos espaço fica próximo a ligação antena. 
Façam comentários se tem alguma dúvida, ou discorda de algo que escrevi.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Novos blogs.

Pessoal todos os meses publicarei esta divulgação:
Sendo eu amante da eletrônica, tenho o prazer em procurar ajudar aos iniciantes e montadores de projetos eletrônicos, gosto e desde criança sou apaixonado por RF "transceptores" por este motivo tendo hoje a facilidade da internet "WEB" para levar um pouco do que aprendi e ainda estou aprendendo pois nunca sabemos demais, e cada dia procuro aprender uma nova descoberta. Pois é tendo este meio de comunicação eu criei o primeiro blog: Projetos e transceptores, em Maio de 2012, com a finalidade de mostrar, incentivar, e divulgar meus esquemas e projetos simples, depois tomei outra direção em desenhar diversos projetos e esquemas postado aqui na WEB ou em antigas revistas, sempre procurando modificar ou diferenciar os esquemas para incentivo aos iniciantes e montadores, hoje o blog: Projetos e transceptores. Tem pouco mais de 5 anos, com 43 seguidores, e tem mais de 280.000 acessos.
Em abril 2015, criei um novo blog:esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.br . Esquemas projetos eletrônicos. Este com a finalidade de divulgar os esquemas e xerox que possuo, ou revistas encontradas na WEB sempre na área de eletrônica de um jeito diversos, para mostrar abordar ou comentar algum assunto do esquema publicado para incentivar e ajudar os iniciantes.
Este mês Agosto de 2017, criei mais um blog:sucataseletronicasdoacoes.blogspot.com.br/ Sucatas eletrônicas doações. Criado com a finalidade de aproveitar o que é descartado por cidadãos, empresas, oficinas, prefeituras, etc. como "Lixo eletrônico", eu como bom garimpeiro quero divulgar o  que em quase todas postagens comento aqui no blog sobre componentes aproveitados de sucatas, todos os montadores já fez ou vai fazer uma montagem com algum componente de uma boa sucata, isso é inevitável, eu já faço isso desde criança quando comecei na eletrônica pois não tinha dinheiro para comprar os componentes, eu aprendi a selecionar, limpar, testar, manusear, lubrificar, e guardar "armazenar" bons componentes que servirão para minha próxima montagem eletrônica sem gastar muito dinheiro, e sem ter que ficar procurando por componente de loja em loja e não achar "mosca branca", já divulguei aqui no blog alguns transceptores em AM montado por mim com 98% de componentes e caixa de sucatas, tenho o maior orgulho. A criação deste novo blog também  é para agradecer aos meu amigos, colaboradores, que me ajudaram e ajudam doando todo tipo de sucatas eletrônicas. Muito obrigado aos seguidores e a todos que acessam os blogs, e você que gosta de eletrônica e faz montagens click nos links acima para ver mais sobre esse mundo fantástico que é o futuro do mundo. Obrigado.
Waldir Cardoso.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Transverter Star Flare 14Mhz 144Mhz CQ Elettronica.

Este mês mesmo sem tempo mas tenho que trazer algo novo aos nossos seguidores e amigos que acessam o nosso blog, é por amor ao hobby que faço este trabalho para incentivar aos iniciantes e montadores. Pessoal o esquema do transverter Star Flare “Estrela do alargamento” de 14 Mhz para ser acoplado em RTX de 144 Mhz, autoria de IW0CKD Roberto Galletti. publicado na revista CQ Elettronica de 1988-06, http://www.introni.it/pdf/CQ%20elettronica%201988_06.pdf Está bem explicado só a parte do receptor, pena que ás explicações está em italiano, mas vocês podem copiar da revista e colar no Google tradutor. Bem olhando o esquema vejamos que tem algumas pequenas modificações que poderemos fazer, se bem que logo de primeira na entrada de filtro BPF antena RX tem um “gato” um erro em L2 que está com seu terminal ligado a JAF3 que alimenta com tensão +Vcc DV2 regulada por R8 entre +1 Vcc a +13,5 Vcc em banda alta, do jeito que está no esquema da revista, a porta “G2” de Q1 vai queimar assim que S1 por acionado para a posição “banda alta”, que também está ligado diretamente a JAF1 um choque de RF tipo VK200, quando deveria ter um resistor de no mínimo 39k, mesmo com R7, R8, R9, R10, ligados em paralelos tendo uma resistência total de 2k5 a corrente continua alta para alimentar os diodos varicap, DV1, DV2, DV3, DV4, eu aconselharia a colocar um resistor de 47k na linha de + Vcc “banda alta” e testar o quanto iria variar em pF nos varicap, poderemos modificar o circuito que por sinal é muito bom, Ex: Quando os indutores BPF que ressonam na mesma freqüência e esta freqüência sobe ou desce devemos ajustar os indutores na mesma freqüência para que o sinal ou recepção tenha a mesma intensidade de recepção em toda faixa, sim porque isso vale tanto em TX e RX que se desloque muito da freqüência de operação. No esquema temos os diodos varicap que variam de capacidade em pF fazendo o conjunto LC ressonar na mesma freqüência em que se deseja ouvir, muito bom circuito ainda mais para quem quer um transverter com várias freqüências acima e abaixo da original. No esquema original na lista de peças não vão encontrar os valores dos componentes da parte de comutação TX RX, e o transmissor, segundo o autor ele publicaria no próximo número, toda parte de transmissão, mas eu não encontrei em número algum. Cabe ao montador improvisar e testar os componentes que eu coloquei os valores nos esquemas, os transistores podem ser outros que seja até 50 Mhz, o PA final RF, pode ser o já extinto novo 2SC 1969 ou os 2SC 1974, 2SC 1173, ou outros, porem só 2SC 1969 ou outro semelhante dará aproximadamente 10 a 12W RF, os demais citados não passam de 5W de RF, os capacitores nos circuitos de alimentação dos semicondutores ou MOSFET, de desacoplamento ligados em +Vcc a negativo, podem ser de valor alto entre 223, 473, 104, ou 22nF, 47nF, 100nF, de cerâmica ou poliéster. Observem que o oscilador local ou VXO tem um transistor bipolar PNP, o que na época se usava muito PNP e NPN, hoje usamos mais os NPN, principalmente em nossos projetos.
Acabei de publicar a tradução da revista deste transverter: https://esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.br/2017/09/transverter-star-flare-144-14mhz-cq.html 
Esquema original e erro em L2 ligado a JAF3.
Abaixo esquema transverter 14-144Mhz já corrigido o erro em L2.
Abaixo lista dos indutores RX para confeccionar.
Lista de peças, original podemos substituir atualizar com componentes recentes, falta a parte de comutação TX RX e transmissor.
Podemos confeccionar os indutores de TX sintonizados conjunto LC, com fôrma TOKO de 10mm, e fio 33 ou 34 AWG, Em L9, L10, L11= 3+3+3T prim. 2+2T sec. fio 33 AWG, forma TOKO 10mm e até em outras bobinas do receptor podemos usar esta mesma fôrma desde que seja usada em FM. Podemos fazer L12 e L14 = 12T 24AWG em toroide lâmpada compacta fluorescente. L13= 6T 30 AWG TOKO 10mm. em L15= 12T 22AWG 10mm. os choques de RF lê-se no esquema JAF, podemos usar choque de RF prontos de 1uH para os varicaps, já na alimentação +Vcc Rx e TX podemos usar os de TV do tipo redondo de 4 ou 6 mm, ou montar em um resistor de 220k de 1W, enrole 20 espiras de fio 26 ou 27 AWG, sobre o resistor. Os componentes com (*) devem ser testado para melhor desempenho, indutores devem ser ajustados para o máximo de RF e com núcleo interno abaixo do meio uma ou duas voltas.
Os transistores podem ser substituídos por outros com maior potencia.
No esquema abaixo desenhei em TX com um bom filtro BPF para termos o sinal limpo de 14 Mhz, o "D" do BF 981 é sintonizado e ressonando em 14 Mhz, passa o sinal por um capacitor de 4,7pF que novamente é sintonizadoe passa novamente por outro capacitor de 4,7pF, desta forma temos um sinal sintonizado e com pouco harmônicos, desta forma podemos colocar no PA um simples filtro LPF de 3 elementos aproveitando assim maior potencia do Mosfets, se desejar maior potencia de RF coloque em série dois Mosfets com resistores, ligue um resistor na saída "G" de 22R de cada um, e ligue dois resistores 0,22R do "S" para negativo, agora ligue ás duas pontas dos resistores no capacitor de 103 e alimentação de bias, assim a potencia vai subir 2 a 3W RF, façam testes, talvez nem seja necessário colocar os resistores de dias de 22R, isso dependerá do Mosfet usado, o certo é que tem que ter os de negativo para "S" de 0R22, ou 0R47. No esquema abaixo L13 ou T1 poderá ser feito com dois toroides de lâmpadas compacta fluorescente formando um binôculo, passe 11 T voltas primário, 3 T voltas para o secundário 25AWG. L14 é idêntico o núcleo porem será mais dois formando 4 toroides tipo binocular 12 T bifilar 24 AWG.
Em L9=4+4+4T, L10=3+3+3T, L11 3+3+3T prim. 2+2T sec. fio 33 AWG. Fôrma TOKO 10mm. T1= dois núcleos toroidais de lâmpadas compacta fluorescente 
Pessoal nesta versão está com Mosfet no PA RF final, outros poderá ser experimentados
o IRF 510, IRF 520, IRF 630, entre outros que chegue aos 14 Mhz sem problemas.
No esquema abaixo a confecção dos indutores de TX no coletor do exitador driver BD 329 podem seguir os mesmos conceitos da parte final de demais transverter para 40 metros nesta configuração Push Pull, isso nos indutores não sintonizados com LC, só para os de banda larga. Podemos seguir o exemplo de driver e PA do http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2017/04/ararinha-projeto-2-rtx-ssb-25w-40w-rf.html com uma boa potencia de RF.
Nesta versão coloquei os dois Mosfets em configuração Push Pull, teremos assim maior potencia de RF, se vocês quiserem podem colocar mais dois Mosfets em série.
Pessoal desculpe-me, eu estou sem tempo para fazer mais desenhos e modificações, estou correndo contra o tempo para poder publicar ainda hoje dia 31 deste mês, por isso continuarei este projeto mês que vem, assim posso modificar mais como oscilador local, pré seletor de RX e outros circuitos. baixem a revista e  leiam toda matéria, vou publicar no meu outro blog mais sobre este transverter mês que vem, passarei aqui o link quando estiver publicado. Peço mais uma vez desculpa por não desenhar mais do que estes esquemas, por favor, ás vezes temos outros a fazeres na vida que é muito mais importante e toma nosso tempo por um todo, mas não deixo de fazer o meu papel de ser um bom blogueiro de nosso hobby em montagens eletronicas na área de transceptores. Meu muito obrigado a todos.
Waldir Cardoso.